Casamento

Uma das grandes decisões das nossas vidas é a escolha de um parceiro, com quem dividiremos nosso futuro.

Temos a necessidade de uma pessoa como cônjuge, por vários motivos:

  1. Não teremos para sempre a casa dos pais
  2. Precisamos de um lar, com nossas próprias coisas e regido por nossas regras
  3. Precisamos de alguém para compartilhar nossas conquistas
  4. Carecemos de uma pessoa que cuide de nós, assim como, que cuidemos dela
  5. A formação de uma família é uma necessidade do ser humano
  6. A relação sexual, com um parceiro fixo, faz parte do equilíbrio da saúde
  7. Ter um companheiro é primordial para nossa felicidade Quando maduros para entender essas necessidades, partimos para a busca de uma companhia ideal. A partir daí, a indagação "se fizemos a escolha correta" será uma constante, mas a dúvida inicial pode ser esclarecida com perguntas simples:
    • Se fôssemos obrigados, por um ditador fictício, a escolher alguém para conviver pelo resto da vida, quem seria a pessoa com a qual teríamos menos rejeição para isso?
    • Se concebêssemos um filho indesejavelmente, com quem gostaríamos que isso tivesse ocorrido?
    • Com quem poderíamos passar anos conversando, sem cansar?
    • Continuaríamos gostando desta pessoa, mesmo se ela contraísse uma séria doença ou um defeito físico?
    São perguntas comuns de "prova de amor", mas que levam a uma reflexão prática, baseada na amizade, se amamos realmente alguém ou estamos sendo influenciados por uma atração física ou paixão. Logicamente, quanto melhor fizermos esta análise, mais felizes seremos.

    Por incrível que pareça, a união duradoura de um casal é mais fortemente determinada por essas "conveniências" do que pelo amor. O amor transforma-se, e pode até nunca ter existido, mas o "interesse" nas vantagens de qualquer espécie (intelectual, afetiva, moral e até financeira) em uma pessoa é bem mais determinante para um casamento de longa duração.

    Uma fez passada esta fase, tão importante quanto a escolha é "manter" o relacionamento pelo máximo de tempo possível, adotando uma série de atitudes na vida a dois:

    1. Muita compreensão, renúncia e respeito mútuos
    2. Uma boa religião, ou algum sentimento religioso, que ajude o equilíbrio, entendimento e crescimento espiritual e moral da família
    3. O trabalho, em todos os sentidos. Indispensável para a felicidade
    4. Períodos de lazer semanais, para a harmonia do casal

    Gustavo Arruda
    (faça seu comentário)          

    *Download do livro "Além do Que Se Vê" (64 kb)
    *Download do livro "O Bê-a-bá do Bem Viver" (51 kb)

     

__________________________________________________________________________
www.nlink.com.br/auto-ajuda * supe-fti@truenet.com.br * ©gustavo arruda

Volta Página principal Imprime esta página